Loading...

31 de maio de 2010

SENADO CONVOCA CELSO AMORIM PARA PRESTAR INFORMAÇÕES SOBRE ACORDO





O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim deverá comparecer ao Senado na próxima terça-feira para dar explicações sobre o acordo alcançado com o Irã e Turquia para troca de combustível nuclear com a Turquia sob a mediação do Brasil.

Segundo a "Agência Brasil", Amorim justificará a posição do Governo brasileiro em defesa do acordo, que tem o objetivo de superar, por meio de negociações, a crise gerada pelas dúvidas sobre as intenções do programa nuclear iraniano, sem sanções da comunidade internacional.

O ministro foi convocado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado, cujo presidente, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), manifestou sua preocupação pela aproximação do Brasil com o Irã, um país questionado pelos supostos fins militares de seu programa nuclear e por violações dos direitos humanos.

Segundo Azeredo, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, tem um histórico pouco confiável e já violou acordos semelhantes ao assinado no dia 17 de maio, alcançado com mediação de Brasil e Turquia.

De acordo com a agência de notícias do Senado, depois de uma sugestão do senador João Tenório (PSDB-AL) de convocar o comparecimento de Amorim, o próprio ministro anunciou sua disposição a participar de um debate para esclarecer a posição brasileira.

O acordo aceito por Ahmadinejad prevê que as autoridades iranianas entreguem ao Governo turco 1,2 toneladas de urânio enriquecido a 3,5%, para recuperar um ano depois 120 quilogramas de combustível nuclear a 20%, a ser utilizado em seu reator científico.

O acordo foi alcançado durante o encontro que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, tiveram na semana passada com o líder do Irã.

Apesar do esforço diplomático, nos últimos dias, membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, principalmente os Estados Unidos, manifestaram dúvidas sobre o acordo e Washington chegou a assegurar que a iniciativa torna o mundo mais perigoso.

Nenhum comentário: