Loading...

9 de junho de 2010

LEI DA CADEIRINHA ADIADA PARA SETEMBRO A ENTRADA EM VIGOR

Falta  de peças adia lei da cadeirinha

Prevista para entrar em vigor hoje, fiscalização de transporte de criança é adiada para setembro

A procura por cadeirinhas e assentos adaptadores fez com que os produtos desaparecessem do mercado

Fornecedores culpam compras de última hora e dizem que o novo prazo é ideal

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) prorrogou o prazo para a entrada em vigor das novas regras para o transporte de crianças em carros de passeio. O uso de equipamentos como cadeirinhas, que seria obrigatório a partir de hoje, sob pena de multa, só começará a valer em setembro. A mudança ocorreu porque faltam equipamentos suficientes no mercado.
Segundo o Contran, a decisão foi adotada após órgãos de trânsito estaduais alertarem sobre a falta dos produtos, principalmente de assentos de elevação (boosters), no mercado. A procura aumentou com o lançamento da campanha de orientação em TV, rádio, mídia impressa, internet e outdoors. "Não haverá nova prorrogação. É uma norma que vem proteger a criança e cabe aos pais dar a proteção necessária para elas", disse o presidente do conselho, Alfredo Peres da Silva.
São Paulo, Minas, Pernambuco e Bahia foram os Estados com a maior carência desses equipamentos, além de Brasília. "Consideramos a data razoável para possibilitarmos que o mercado seja abastecido", afirmou Silva.
Os fabricantes e importadores das cadeirinhas infantis admitem que não têm condições de abastecer a demanda atual. Com a divulgação da obrigatgoriedade do uso da cadeirinha, na primeira quinzena de maio o estoque dos fornecedores acabou. A procura superou totalmente a previsão.
Representantes da indústria, fabricantes e importadores acreditam que o novo prazo será ideal para que os pais possam ter opções de escolha. "Só temos agora de pedir para o varejo que estoque e faça as encomendas com antecedência, para que não aconteça em agosto o que acabou de ocorrer em maio."
Os dispositivos de retenção, reiterou o presidente do Contran, devem ser instalados de acordo com o peso e a altura. Ao comprar bebê-conforto, cadeirinha ou booster, os pais precisam verificar se os produtos têm selos de segurança do Inmetro.
Vans. No momento, o Contran estuda a regulamentação do transporte escolar de crianças. "Está sendo definido um grupo de trabalho junto com o Ministério da Educação e, a partir daí, todos os veículos escolares terão de apresentar dispositivos para prender a criança adequadamente", destacou Silva. /

Nenhum comentário: