Loading...

11 de junho de 2010

RESUMO DOS JORNAIS: O GLOBO


Manchete: Ficha Limpa já vale para eleição deste ano, diz TSE
Dúvida sobre a abrangência da lei ainda será analisada por ministros
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem que a lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de políticos condenados por crimes graves em decisões colegiadas (tomadas por mais de um juiz), vale já para as eleições deste ano. No entanto, ainda falta juntar outros recursos para que se decida a abrangência da lei. Isso porque o texto original, que se referia aos políticos que "tenham sido condenados", foi mudado, em sua versão final, para "os que forem condenados". A dúvida é se a nova lei valeria apenas para os políticos condenados a partir da sanção da lei, no último dia 4, pelo presidente Lula, ou para todos. (Págs. 1 e 15)

Marina prega 'Estado mobilizador'
Ao ser lançada ontem oficialmente candidata à Presidência pelo PV, a senadora Marina Silva reconheceu avanços nos governos Fernando Henrique e Lula, elogiados por ela, mas afirmou que é preciso ir além, rumo a um Estado que mobilize a sociedade, sobretudo os mais pobres. Ela disse que espera ser a primeira presidente negra do país e, entre suas metas, citou a educação como "prioridade das prioridades". (Págs. 1, 3 e 4)

Pré-sal: Lula promete vetar emenda que lesa Rio
O presidente Lula prometeu ao governador Sérgio Cabral vetar a Emenda Simon, aprovada na madrugada de ontem pelo Senado por 41 votos a favor e 28 contra. O texto tira R$ 7,3 bilhões por ano em royalties de petróleo do Rio. O senador Pedro Simon (PMDB-RS) ressuscitou a Emenda Ibsen Pinheiro que, na Câmara, já previa redistribuir os recursos do petróleo do pré-sal entre estados e municípios produtores e não produtores. A União teria que bancar as perdas de Rio, Espírito Santo e Sergipe. Juristas alertam que a emenda fere vários artigos da Constituição, entre eles o que prevê compensações financeiras para unidades da Federação que tenham exploração de petróleo em seu território. O governador Sérgio' Cabral disse que a aprovação da emenda foi uma covardia contra o povo do Rio e suspendeu aumentos para servidores. O Senado aprovou também a capitalização da Petrobras, que permitirá à empresa captar até US$ 70 bilhões para investir no pré-sal. (Págs. 1, 27 a 31, Míriam Leitão e Merval Pereira)

E a caminho das Bahamas...

Meteorologistas alertaram ontem que correntes marinhas podem levar para as paradisíacas praias das Bahamas, país que depende do turismo, o petróleo que vaza no Golfo desde 20 de abril, após desastre com uma plataforma (Págs. 1 e 36)

Foto legenda: Pelicanos cobertos pelo óleo, que polui o litoral da Louisiana

No Senado, gasto extra de R$ 481 milhões
O novo plano de cargos e salários do Senado vai representar gastos extras que podem chegar a R$ 217,7 milhões este ano e até R$ 481,5 milhões em 2011. Um relatório com os custos foi enviado à Mesa da Casa. O plano ainda terá de ser aprovado no plenário. (Págs. 1 e 16)

Sanção afeta negócios do Brasil com Irã
As novas sanções ao Irã aprovadas anteontem pela ONU devem criar restrições a bancos, dificultar pagamentos e espantar exportadores. Mas, enquanto Teerã ameaça romper com a AIEA, o Brasil ainda aposta na venda de alimentos. (Págs. 1, 34 e 35)

Artigo
Preparem-se para nova e substancial escalada da carga tributária nos próximos quatro anos. (Rogério Werneck) (Págs. 1 e 6)

Lentidão da Justiça solta acusados do roubo no BC (Págs. 1 e 16)

Primeira Página
Ficha Limpa já vale para eleição deste ano, diz TSE
Marina prega 'Estado mobilizador'
Pré-sal: Lula promete vetar emenda que lesa Rio
No Senado, gasto extra de R$ 481 milhões
Sanção afeta negócios do Brasil com Irã

Editorial
Demagogia dos royalties seduz Senado
BC reafirma combate à inflação

Opinião
A carga tributária de 2014 :: Rogério Furquim Werneck
Um assunto de família :: António Almeida Lima
Tucano diz que PT faz jogo sujo

Colunas
Panorama Político :: Ilimar Franco
Merval Pereira
Luiz Garcia
Ancelmo Gois
Panorama Econômico :: Míriam Leitão
Negócios & cia :: Maria Fernanda Delmas

O País
Marina defende 'Estado mobilizador'
Programa prevê redução de cargos
A festa dos 'marineiros'
Gabeira: governo Lula 'frustrou os sonhos' de quem colocou o PT lá
Requião ameaça ir ao TSE contra aliança com PT
PPS repete DEM e mostra Serra em programa
'Decisão do Lula virou imposição'
Cabral corteja nanicos e deve ter 15 partidos
Dilma repete FH para destacar avanços
Presidente deve vetar hoje fim do fator previdenciário
Lula desafia adversários a comparar governos
Realidade não confirma discurso
TSE decide que Lei da Ficha Limpa vale este ano
PR já procura plano B para o caso de Garotinho não poder concorrer
Gasto extra do Senado pode ser de R$ 481 milhões

Economia
Lula: 'Quando há exagero, eu veto'
O fio da meada
Para aliados, governo 'cochilou', mas líder diz que votação foi uma vitória
Com biografia respeitada, Simon agora está na berlinda
Do impeachment de Collor à CPI dos anões
Texto fere Constituição em pelo menos 4 artigos
Prefeitos criticam aprovação 'na calada da noite'
'Injustiça e oportunismo eleitoral'
Dilma e Serra não comentam mudança nos royalties
Perda de royalties deixa Rio mais exposto a riscos
Petrobras planeja captar até US$ 70 bi em julho
Estatal e China puxam Bovespa
Educação terá 50% do dinheiro do Fundo Social


O Mundo
Irã ameaça fechar porta à AIEA
Garcia: argumento falso
Consciência
Brasil procura saída para manter exportações
Lula cai no samba da bomba latina
Brasília e Washington minimizam arranhão nas relações bilaterais









Nenhum comentário: