Loading...

6 de junho de 2010

ÉPOCA



O cérebro do craque de futebol
A ciência comprova: eles não são bons só com os pés- também são geniais com a cabeça.

Por que a bola desta Copa do Mundo é tão criticada pelos jogadores.
Parreira, o técnico de cinco Seleções em seis Copas.
(Págs. 1 e 72)

Dossiê
Uma trapalhada que fortaleceu Palocci.
Como as brigas internas na campanha de Dilma e um suposto dossiê contra Serra fortaleceram Antônio Palocci.
(Págs. 1 e 44)

Impostos
Não dá mais para esconder quanto pagamos em cada compra.
(Págs. 1 e 68)

Ricardo Lewandowski
"Sou a favor da liberação da propaganda eleitoral".
(Págs. 1 e 56)

Iara Lee
“Os ativistas não têm medo de Israel”.
(Págs. 1 e 93)

Vamos combinar
O crescimento de Dilma preocupa Serra.
(Págs. 1 e 39)

Guilherme Fiuza e a discípula Dilma (Págs. 1 e 48)

Aécio Neves, o tucano relevante (Págs. 1 e 50)


As divergências entre Marina Silva e seu partido (Págs. 1 e 54)


Como o TSE vê a propaganda eleitoral antecipada (Págs. 1 e 56)


Justiça
À frente do STF, Cezar Peluso quer mudanças no CNJ.
(Págs. 1 e 60)


Paulo Rabello e a carga tributária (Págs. 1 e 70)


Israel cai na armadilha do navio pró-Palestina (Págs. 1 e 92)


Uma geração que cansou de fazer papel de palhaço
O peso do Estado sobre a sociedade é talvez o principal entrave ao desenvolvimento do Brasil. Nada mais absurdo, portanto, que a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na semana passada, em defesa da nossa alta carga de impostos.
O objetivo dos impostos é custear os serviços que o governo deveria nos prestar. Em troca deles, porém recebemos saúde de baixa qualidade, educação sofrível, falta de segurança e uma ineficiência paquidérmica colossal e aparentemente inamovível da máquina pública. É ridículo afirmar que os impostos são necessários para manter os programas sociais e reduzir a desigualdade. Ao contrário, seu peso é maior sobre os mais pobres. Eles também são o maior empecilho à criação de novos negócios e novos empregos. Os impostos, portanto, empobrecem e geram mais miséria.

Apesar desses fatos, evidentes, a cada ano pagamos mais impostos. Em 2010, mais de R$ 500 bilhões já foram para os cofres públicos - e atingimos a marca de 22 dias antes do ano passado. Por que então, não há mais revolta contra isso? Talvez porque o povo ignore quanto imposto paga. A Constituição determina que o valor dos impostos seja expresso no preço de todo produto, como em outros países. Mas a lei que regulamenta esta decisão está parada no Congresso. É crucial aprová-la, como mostra a reportagem da página 68.
(Págs. 1 e 8)


Negócios & Carreira

Por um clima melhor

David Neeleman: O céu do Brasil está vazio

Colunistas
Paulo Guedes
Fernando Abrucio
Ruth de Aquino
Ruth de Aquino
O Filtro
Paulo Rabello de Castro
Guilherme Fiuza
Fareed Zakaria
Paulo Nogueira


Entrevista
Ricardo Lewandowski


Da redação
Uma geração que cansou de fazer papel de palhaço


Brasil
Golpes, ONGs e a mala de dinheiro
A temperatura subiu para Serra
Viramos uma China?
Antonio Lavareda: "Marina é a única que leva emoção"
Por que elas resistem a Dilma
A revolução estética de Dilma
Pela transparência nos impostos
Conflito de estilos
Discutir para não calar
O tucano relutante
Tradicional ou progressista?
A volta de Palocci


Sociedade
Da cadeia para o Supremo


Mundo
Israel mordeu a isca. E agora?
Iara Lee: Sabíamos que era ilegal


Mente Aberta
Oliver Stone: Hugo Chávez é tão odiado quanto eu


Seções
Caixa Postal
Vamos Combinar
Fala, Brasil
Dois Pontos


Primeiro Plano
Vamos Combinar
Dois Pontos
Fala, Brasil
O Filtro


Ciência e Tecnologia
Um espião em seu computador

Nenhum comentário: