Loading...

2 de agosto de 2011

Resumo dos Jornais: O GLOBO



Primeira Página



Manchete: Na Câmara, Obama aprova o acordo com aliados divididos

Pacote que corta gastos e eleva dívida será votado hoje no Senado
Sem o apoio do seu partido, o presidente Barack Obama conseguiu aprovar, na Câmara dos Representantes, por 269 votos a favor e 161 contra, um pacote que eleva o teto da dívida em US$ 2,1 trilhões e corta gastos em US$ 2,4 trilhões pelos próximos anos. Apenas 95 democratas foram a favor. O pacote é fundamental para evitar que os Estados Unidos entrem em moratória a partir de amanhã, porque o Tesouro não teria autorização para se endividar além do limite de US$ 14,3 trilhões, embora precisasse pagar rendimentos de seus títulos e honrar benefícios sociais. O texto deve ser votado hoje no Senado, de maioria democrata, antes de ir à sanção presidencial. Aguardando a votação que só ocorreu à noite -, os mercados globais fecharam ontem em queda. O temor em relação à economia europeia também fez com que o euro recuasse 1,03% frente ao dólar. (Págs. 1, 17 a 19, Miriam Leitão e Arnaldo Jabor)
 
Paul Krugman

"O acordo, considerando dados disponíveis, é um desastre, não só para Obama e seu partido. Empurrará os EUA para um padrão República de Bananas." (Págs. 1 e 17)

Denúncia contra PMDB tem resposta diferente
Jucá pede desculpas à presidente Dilma por irmão ter dito que há corrupção em ministério

Diante das denúncias de que há corrupção no Ministério da Agricultura, comandado pelo PMDB, a presidente Dilma decidiu não agir de imediato, como ocorreu com o PR no Ministério dos Transportes. Mas o PMDB terá de provar que as acusações feitas pelo irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), são apenas briga interna. O partido vai levar o ministro Wagner Rossi, que nega irregularidades na Agricultura, para se explicar na Câmara. Jucá pediu desculpas a Dilma pelas denúncias do irmão, e ela aceitou. (Págs. 1, 3, 4, Merval Pereira e editorial "O porquê de não se fazer 'varredura geral'")

Jobim: ficar no governo é um prazer

O ministro Nelson Jobim, que revelara ter votado em Serra ano passado, disse ontem que "tem prazer" em ficar no governo e elogiou a presidente Dilma. Mas ela está irritada com Jobim. A permanência dele no governo depende de uma conversa entre os dois. (Págs. 1 e 5)



STF: músicos não precisam de registro

O Supremo Tribunal Federal dispensou os músicos do registro na Ordem dos Músicos do Brasil como pré-requisito para o exercício da profissão. Os ministros decidiram com base no direito constitucional da liberdade de expressão. (Págs. 1 e 9)

União quer que Delta devolva R$ 23 milhões

A Controladoria Geral da União recomendou à direção do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) que exija da Delta, empreiteira contratada para construir a nova sede, a devolução de R$ 23,5 milhões pagos com sobrepreço e por serviços executados em duplicidade. (Págs. 1 e 16)



Síria mata 85 no Massacre do Ramadã

Diante dos olhos e da inoperância da comunidade internacional, o regime de Bashar al-Assad matou mais 85 civis no que já é conhecido como Massacre do Ramadã. A ONU tenta nova condenação, sem pedir sanções ou intervenção militar. O Brasil integrará missão ao país. (Págs. 1 e 24)

De olho no mercado verde, vinícolas brasileiras estão produzindo vinho com menos impacto ambiental (Págs. 1 e Razão Social)



Política antissuicídio

A Foxconn, empresa que produz iPhones e iPads na China, terá pelo menos um milhão de robôs nas linhas de produção nos próximos três anos. A gigante, que também já prometeu fazer iPads no Brasil, viu diversos trabalhadores se suicidarem nos últimos meses. (Págs. 1 e 23)

 
Salvo pelo Google
Juan Paredes, o juiz equatoriano que condenou em tempo recorde jornalista Emilio Palacio e donos do diário "El Universo" a três anos de prisão e multa de US$ 40 milhões sob acusação de caluniar o presidente Rafael Correa, copiou parte da sentença de sites da internet. Na Argentina, o também juiz Eugenio Zaffaroni, considerado um aliado importante da presidente Cristina Kirchner, é acusado de alugar apartamentos onde funcionam prostíbulos. (Págs. 1 e 25)

Editorial

O porquê de não se fazer 'varredura geral'
Papel do segundo turno na Argentina

Opinião

Faxina geral na Esplanada :: Gil Castello Branco
Acordo na beirada :: Ilan Goldfajn
Qual é a agenda? :: Antônio Carlos de Medeiros

 
Colunas

Merval Pereira
Panorama Político :: Ilimar Franco
Luiz Garcia
Ancelmo Gois
Panorama Econômico :: Míriam Leitão
Negócios & Cia :: Flávia Oliveira
Arnaldo Jabor

O País
Contra o PMDB, cautela
Planalto tenta apaziguar ânimos e chama o PR para conversar
Por demora, Conab perde 7 em cada 10 ações na Justiça
Oposição planeja convocar cinco ministros para depor no Congresso
Nascimento fará discurso de defesa
Jobim diz que tem prazer de ficar no governo
Dilma define agenda para o semestre
Evolução
Sindicalistas de Minas vão se filiar ao PSDB
Turismo: deputado diz que assinatura foi voto de confiança
Ellen Gracie vai deixar STF e quer vaga em Haia
Músico não precisa mais de registro

 
Economia

Câmara dos EUA aprova acordo
O presidente entregou os pontos
Acordo político enfraquece Obama e beneficia políticos conservadores
Bolsa segue pessimismo global e recua 0,49%
'Não há declínio americano'
Governo teme que, com crise, dólar caia mais
Com mais chuva, conta de luz vai subir menos
Governo vai desonerar a folha dos setores calçadista, têxtil e de móveis
Norte e no Nordeste puxam TV por assinatura

 
O Mundo

De mãos atadas frente a Assad
Pressão
ONU prorroga ajuda a Damasco por mais um ano
Fronteiras de 67 na pauta de Netanyahu
Parlamento cubano aprova plano de reformas para estimular a economia
O 'new look' de Chávez


Rio

Para além da pacificação
União encontra sobrepreço nas obras do Into

 
Esportes

Governo assina contrato com BNDES

Razão Social
Procuram-se 800 mil famílias
‘De presidente para presidente’
‘Não sabia que o governo ajudava’

Nenhum comentário: